Av. Brigadeiro Eduardo Gomes, 80, Jd. das Américas
Poxoréu-MT, CEP 78.800-000
Fone: 66 3436-1155 / 3436-2381 / 98115-3837 / 99903-9977
E-mail: 1oficio@cartoriorgipoxoreu.com.br
Atendimento: Segunda a Sexta-feira, das 09 às 17h.

História


Poxoréu, da Vila ao Município

A notícia da descoberta de diamante, ao sopé do Morro da Mesa, distante 30 km de São Pedro, fez com que muitos garimpeiros se decidissem partir para o novo “Eldorado”. Dezenas de garimpeiros deixaram São Pedro e foram acampar ao lado do barraco dos descobridores de Poxoréu.

Formou-se então o aglomerado garimpeiro do “Morro da Mesa”. O povoamento veio logo a seguir. A corrutela foi, a princípio, chamada de Morro da Mesa, mas bem pouco tempo depois, estava sendo chamado de Poxoréu.

O crescimento do povoado foi vertiginoso. Alguns fatores foram decisivos para esse crescimento: os primeiro garimpeiros ao lavarem o cascalho ali existente, obtiveram a certeza de que as jazidas eram mais extensas e abundantes que as de São Pedro. Os Bororos ali aldeados, não apresentavam perigo de desavença. Eram pacíficos.

Ali, pelo menos, por algum tempo, estavam mais longe das lutas de Morbeck e Carvalhinho, das lutas da Coluna Prestes e do governo. Por algum tempo estavam livres de serrem recrutados para tais lutas. Mas, somente em 1927, quando um incêndio destruiu mais da metade das edificações de São Pedro, foi que o crescimento de Poxoréu ficou assegurado. O crescimento de Poxoréu não dependeu apenas do garimpo, pois o mesmo não era o único meio de sobrevivência nestas regiões.

O crescimento do povoado e a ocupação de terras em seus derredores levaram o governo do Estado a criar o Patrimônio de Poxoréu, com 3595 hectares, através do decreto nº 856 de 2 de maio de 1929.

“De tal forma progrediu o garimpo que em 1932, era criado ali o distrito de igual nome, pelo decreto estadual nº 131 de 16 de fevereiro daquele ano, subordinado a Comarca de Cuiabá”. (Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, 1957, vol 35).

Poxoréu e seus Distritos

Em 1.932, quando se torna distrito de Cuiabá, Poxoréu já possuía muitos aglomerados populacionais, não somente em regiões de garimpo. O garimpo de São Pedro foi descoberto em 1.924 e ao seu entorno, outras jazidas foram descobertas e em torno delas, foram formados povoados. Todos os santos, em novembro de 1.924, Sete e São Paulo (1.924); Rio das Pombas em 1.925; Poxoréu em 1.926; Raizinha em 1.932 e Alcantilado em 1.938. Os povoados de Rio Vermelho (Rondonópolis) e Ponte de Pedra já contavam com dezenas de famílias e fazendas que se espalhavam pela região.

Próximo de São Pedro já havia plantações de roças e criação de gado. As terras próximas a vila de Poxoréu e até mais distante e em todas as direções já estavam sendo apossadas e nelas implantadas propriedades com lavouras e gado. Nessas terras, mais tarde seriam fundados aglomerados humanos significativos como Jarudore, Johanesburgo, Lambari, Paraíso do Leste, Toriparu, Alto Coité, Barra do Paraíso, São Lourenço de Fátima, Capim Branco, Mutum. Terras devolutas foram ocupadas e pedidas para titulação tinham se multiplicado. Diante desse crescimento populacional, a Lei nº 145 de 29 de março de 1.938 eleva à categoria de Município o Distrito de Paz de Poxoréu. A Lei nº 145 fixa de maneira geral os limites de Poxoréu, sem criar, nem delimitar seus distritos. O Decreto Lei nº 208 de 26 de outubro de 1.938, fixando o território de Mato Grosso, para vigorar no qüinqüênio 1.939 a 1.943, fixa o município de Poxoréu com os seguintes distritos: a Sede, Coronel Ponce, Ponte de Pedra e Rondonópolis.

As divisas foram assim consideradas:

a) Intermunicipais:

  1. Com o município de Santo Antônio do Leveger.
  2. Com o município de Cuiabá.
  3. Com o município de Araguaiana.
  4. Com o município de Lajeado.
  5. Com o município de Alto Araguaia.

b) Divisas Interdistritais:

  1. Entre os distritos de Poxoréu e Coronel Ponce.
  2. Entre os distritos de Poxoréu e Rondonópolis.
  3. Entre os distritos de Poxoréu e Ponte de Pedra.
  4. Entre os distritos de Rondonópolis e Ponte de Pedra.

O novo município foi criado com uma área de 25.509 km2 e foi instalado no dia 1º de janeiro de 1.939, sendo nomeado e empossado o cidadão Luis Coelho de Campos (Coronel Luisinho) como o primeiro prefeito de Poxoréu.

Um ano após a criação do município, em 1.940, houve o primeiro recenseamento. Poxoréu já possuía 14.749 habitantes. O distrito sede possuía 11.213; Coronel Ponce, 720; Ponte de Pedra, 1.041 e Rondonópolis 1.805 habitantes. A força da migração para Poxoréu foi o garimpo, mas em 1.940 aagricultura já estava bem estabelecida e a pecuária acompanhou o seu ritmo. O rebanho era de aproximadamente 30.000 cabeças.

Na divisão do Estado, através do Decreto Lei nº 583, de 24 de dezembro de 1.948, e para vigorar no qüinqüênio 1.949 a1.953, Poxoréu estava constituído pelos seguintes distritos: Poxoréu (sede), Coronel Ponce, Rondonópolis, Ponte de Pedra, Toriparu (criado com território desmembrado do distrito sede municipal e localizado próximo de Lajeado) através da Lei nº 142 de 30 de setembro de 1.948; Alto Coité, criado pela Lei nº 185 de 16 de novembro de 1.948, com território desmembrado dos distritos sede municipal e de Coronel Ponce. A Lei nº 666 de 10 de dezembro de 1.953, criou o município de Rondonópolis, desmembrando de Poxoréu, que perdeu dois distritos: Rondonópolis e Ponte de Pedra.

O distrito de Paraíso do Leste foi criado pela Lei nº 681, de 11 de dezembro de 1953. O distrito de Jarudore foi criado pela Lei nº 1.191 de 20 de dezembro de 1.958. O povoado de Aparecida do Leste, próximo de Paraíso do Leste, chegou a ser transformado em distrito, pela Lei nº 2.923, de 6 de janeiro de 1.969, mas a Lei complementar Federal de 7 de fevereiro de 1.969, suspendeu os seus efeitos. Aparecida do Leste, hoje, é apenas um povoado.

Com o surgimento de novas tecnologias na agricultura, período pós Revolução Verde, com a introdução da calagem e da adubação nos cerrados e da presença de sulistas no planalto de Poxoréu, às margens das rodovias BR – 070 e MT – 130, surgiu o povoado de Primavera do Leste, que se transformou em distrito de Poxoréu no dia 26 de setembro de 1.981. A Lei Estadual nº 5.014, de 13 de maio de 1.986, criou o município de Primavera do Leste, com território desmembrado de Poxoréu, Cuiabá e Barra do Garças.

Poxoréu Dividido

Ao ser criado, o território do município de Poxoréu, possuía 25.509 km². Com o desenvolvimento da região e o surgimento de outros aglomerados humanos, foram surgindo vilas que se transformaram em municípios; Poxoréu foi perdendo parte de seu território em favor dos novos municípios criados. Somente em 1953, três municípios foram criados, com pelo menos parte do seu território, pertencente ao município de Poxoréu.

1º Itiquira foi criado pela Lei Estadual nº. 654 de 1º de dezembro de 1953, desmembrado dos municípios de Alto Araguaia, Coxim e Poxoréu.

2º Alto Garças foi criado pela Lei nº. 660 de 10 de dezembro de 1953, desmembrado dos municípios de Alto Araguaia, Guiratinga e Poxoréu.

3º Rondonópolis foi criado pela Lei nº. 666 de 10 de dezembro de 1953, desmembrado do município de Poxoréu.

4º Jaciara foi criado pela Lei nº. 1188 de 20 de dezembro de 1958, desmembrado dos municípios de Cuiabá e Poxoréu.

5º Dom Aquino foi criado pela Lei nº. 1196 de 22 de dezembro de 1958, desmembrado do município de Poxoréu.

6º Primavera do Leste foi criado pela Lei nº. 5014 de 13 de maio de 1986, desmembrado dos municípios de Poxoréu, Cuiabá e Barra do Garças.

Texto: Prof. João de Souza

Organização: Prof. Agnaldo Luiz

Bibliografia:

Amorim. Gaudêncio Filho Rosa de, Linhas Históricas de Poxoréu, Gráfica Defanti, 2001.
Baxter. Michael, Garimpeiros de Poxoréu, Tradução de Rocha, Benedito César Ribeiro Nunes, Brasília, Centro Gráfico do Senado Federal, 1988.
Cury. Carmelita, Do Bororo do Prodoeste, Cuiabá, Editora Alvorada, 1973
Enanuréu. Mário Bordignan, Os Bororo na História do Centro Oeste Brasileiro 1716 – 1986, Missão Salesiana de Mato-Grosso, Campo Grande MS, 1986.
Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, vol. 35, 1957.
Mendonça. Rubens de, História de Mato Grosso, 4ª Edição, Imprensa Oficial do Estado São Paulo 1982.
Silva. Oclaide Jorgeda, Um estudo sobre a história de Mato Grosso, 2ª Edição, 1982 Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 1982.
Varjão. Valdon, Barra do Garças no passado, Brasília, 1960.
Varjão. Valdon, Barra do Garças, Migalhas de sua história.
Xavier. Jurandir da Cruz, Do Poxoréo ao Garças, Edições Calendário do sol, 1999.



PARCEIROS